terça-feira, maio 05, 2009

De onde vem a calma

Meu pai realmente testa todos os limites da minha paciência. Eu tava dormindo, quase sonhando serelepemente, e meu pai me acorda pra me levar para a escola. Ouk, acordei be happy - ou não -, dei um mega-twist-carpado, fiz a coreografia matinal do bocejo e dos bracinhos levantados, dei minha contribuição para a paz mundial e fui me arrumar. Quando eu fui até a porta pra encontrar meu pai e irmos embora, adivinha?! O carro tava na oficina e ele diz que bamos andando. Eu quase avancei no pescoço do meu pai e acabei com meu problemas ali mesmo. Eu todo confiante, saltitante e serelepe, achando que eu ia atravessar aqueles mil milhões de quilômetros (ouk, nem tanto!), no ar condicionado - mesmo aqui estando um frio de congelar todos os seus orgãos, te proporcionar uma parada cardio-respiratória e te deixar impossibilitado de respirar sem aparelhos -, ouvindo Los Hermanos no maior luxo e sedução e ele me dá esse balde de água fria. Da próxima vez que meu pai me oferecer uma falsa esperança de ser feliz, vou processá-lo por danos psicológicos e exigir uma indenização alegando todo o sofrimento que eu passei por aqueles vinte minutos de caminhada. Mas tudo bem. Coloquei meu sorriso super carismático e segui pra vida.
Ah, na hora da saída, como qualquer dia normal, eu coloquei meu mp4 no máximo e fui andando pra casa. Tava eu caminhando, à quilômetros de distância do planeta Terra, escutando Condicional no máximo, quando uma mulher se aproxima de mim. Eu tirei os fones, percebi que ela se esforçava pra chamar atenção, e ela me disse que tinha um moço gritando por mim à uns metros. Eu olho pra trás, e era meu pai. Quando eu fui ao carro dele percebi que a distância que ele me seguiu gritando meu nome era enorme. Coitado do meu pai! Eu escutando música - que qualquer pessoa num raio de 2km conseguiria ouvir - e meu pai correndo atrás de mim desesperadamente. Tá bom, pai, eu te perdoo.

28 comentários:

  1. rsrsr Bertonie, essa foi boa. Mas sabe que eu nos meus tempos de escola adorava ir a pé? Preferia mesmo. Era ótimo acordar às 6 da manha e sentir aquele ar gelado da manhã e reclamar a todo bom dia que te davam. Era uma boa fase. rss E deixa de ser fresco, moleque. rs

    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Que bonitinho, seu pai te leva pra escola *-* eu sempre quis ser levado pra escola pelos meus pais '-'

    Am, uma vez eu tava ouvindo Metal no celular no máximo e não percebi que minha colega, que tava do meu lado, tinha sido atropelada por uma bicicleta, foi feio, e quando eu percebi que ela tava a uns dois metros de distancia caída no chão, eu descobri que não é legal escutar música nas alturas, porque além de prejudicar os tímpanos (que?) prejudica a atenção. kk

    ResponderExcluir
  3. Como eu queria que meu pai me levasse na escola, ele só me leva quando chove e olhe lá, eu odeio ter que andar de ônibus ¬¬
    Anseio por uma carona todos os dias.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Pior sou eu que raramente uso fones de ouvido e as pessoas sempre me dizem que acenaram pra mim na rua, gritaram, buzinaram e eu, nada! :p

    ResponderExcluir
  5. Pelo menos não tentaram te assaltar ¬¬

    ResponderExcluir
  6. tenho o msm problema da aline: usando ou não fones de ouvido eu naum escuto as pessoas me chamarem na rua. Se passar de ônibus e me gritar eu finjo que naum escutei tbm *0* HUAISHEIUHASUI

    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. hauhauhaahua ai Bertonie tadinho do seu papis...e vai andar 20 min nem tanto assim...rsrsrsrs
    da minha casa até o metrô é bemmm mais longe e eu vou caminhando sempre que posso...hhahha =p
    beijokinhassssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  8. Sinta-se abraçado!!! e eu quero um chá de marcela por favor!!! ushauhsa

    Beijão!!

    ResponderExcluir
  9. meu pai me leva e me busca da escola todo santo dia enquanto eu morar aqui *-* mas aí acho que depois do ano que vem eu vou voltar de busão feliz e sozinha, talvez. mas sei lá, nem ligo mesmo.

    ah eu posso estar com fone sem fone, com música sem música, não importa, eu quase sempre to viajando e não escuto quase nada ao meu redor (W)

    ResponderExcluir
  10. hahahahhahah
    essas coisas acontecem... ;)


    [ainda não tinha conseguido passar aqui no teu blog. gostei! =) e valeu pelos comentários lá... realmente tá difícil pra mim, sinto muita falta dele, mas sei que uma hora isso passa... e ficarão boas lembrança.]

    :**

    ResponderExcluir
  11. Hahahahaha, isso tbm ja aconteceu cmg... minha mãe teve que gritar pra uma senhora do meu lado me chamar, OIHEOIEHEOIEHOIH'

    :*

    ResponderExcluir
  12. Ai Bert, ir a pé não tá com nada, anjooo!!! Eu tenho que ir a pé pro job todo santo dia... é punk... ainda mais quando está muito frio ou chovendo muito!!! Mas essas coisas assim... que nem aconteceram com seu pai e vc... acontecem sempre, sempre...
    Estou voltando à ativa... passa lá no Caramelo.
    Beijões queridão

    ResponderExcluir
  13. Puts, deve até ter dado remorso...

    ResponderExcluir
  14. Adoorei o seu final.. foi fabuloso 'kkk ;x
    adooro Los Hermanos.. e agradeça o pai que voce tem.. o meu pai só vem me ver se mês em mês e olhe lá !

    :*

    ResponderExcluir
  15. Pois não sentirá mais a minha falta!

    Óia eu aqui!!!

    Bju e obrigada pelo carinho!


    =]

    ResponderExcluir
  16. HUAHSUHASUHAS

    seu pai pagou um mico dos bons por vc xD
    Eu tbm ando na rua rezando pra que ninguém resolva me chamar, pq na grande maioria das vezes eu ando com os fones enterrados nos ouvidos e não ouço nada além da música :D

    beijos!

    ResponderExcluir
  17. hahahahhahahahhahaha
    hahahahahhahahahahahhahahahha
    hahahahahahahahahhaahhahahaha
    pera aí, tem mais um pouquinho de risada: uahuahuahuahuahuahuaha
    Mew, eu tô vizualizando a cena toda! auhauhauhaua
    E na minha imaginação tá bizarro!
    auhuahauhuaha

    Beijo grande.

    Ps: adoro condicional, me lembra meu melhor amigo, que nem é tão calmo assim.

    ResponderExcluir
  18. Gostei do texto!
    sobre o comentário:
    Voolç está certo não teria graça, sber que eu iria morrer, dias tal ,a hora tal.
    O ser humano, não consegue viver, sabendo que está desprotegido. Se isso o que voolç falou acontecesse, as pessoas daria surtos, pelo fato de não suportarem a pressão que isso causaria!

    como voolç disse
    vamos viver essa bolha de sabão enquanto resta.
    beijoss

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Eu estou passando por situação parecida. Meu pai me leva de carro até o ponto de ônibus para eu pegar o ônibus e ir trabalhar. Só que esses dias estamos sem dinheiro para pôr gasolina e o carro está encostado, estou indo a pé até o ponto todos os dias e é 20 min. de caminhada até o ponto, não aguento mais, rsrs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. kkkk, ah andar as vezes é bom né?
    mas fala sério, vc não ter escutado foi só pra descontar no papai por ter que ir a pé, né? conta a[i vai rssss
    bjss

    ResponderExcluir
  22. Como sempre, dei boas risadas!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  23. Ok, Sr. Eu-Odeio-Quem-Prejudica-O-Meio-Ambiente.

    Você bem que podia ter ido a pé u.u
    Não faria mal nenhum.
    Alé, do mais, deve ser impossível existir um lugar REALMENTE longe em Princesinha do Sertão! HA

    E quanto ao seu pai, agradeça a Deus por ele não ter cabelo laranja.
    Porque o meu tem -Q

    Adeus, nubi.

    PS: Vou precisar de você pra Fuscoterapia amanhã. Esteja no msn à tarde!

    ResponderExcluir
  24. Vou confessar, adoro você. Eu levo o meu filho para a escola também, carinho de Pais. O meu ainda sai com um beijinho e você? :>

    ResponderExcluir
  25. Hahaha, o dano psicológico foi reparado :D
    Eu nem esquento mais, minha realidade é um buzão lotado todos os dias, hahaha!

    Ah, meme pra você no Ivilândia :)

    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  26. Hhahaha danei a rir....é sempre assim meu amigo..os pais nos testam todo dia..e as vezes descontam a raiva em nos.....


    aproveite qndo pode...

    abraçao nub

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar; você fez uma criança feliz :D