quinta-feira, setembro 04, 2014

  Eu não quero seguir em frente. Eu quero tentar invadir sua casa, subir seu muro e me prender no arame farpado. Eu quero que seus cachorros latam para mim e que a vizinhança toda veja meu sangue no chão e saiba que eu estive ali.

  Eu não quero seguir em frente. Eu quero encher sua caixa de entrada, mandar ébrias mensagens de áudio por seguidas madrugadas, metralhar seu celular com poemas de amor, ligar para o seu número dia sim e dia também. Eu quero colar um cartaz em cada esquina do seu bairro com aquela imagem do Tio Sam dizendo que quer você.

  Eu não quero seguir em frente. Eu quero mandar e-mails e mais e-mails para sua mãe, para seu irmão e para sua melhor amiga, Times New Roman, fonte 12, tentando convencê-los a te convencer a olhar para mim. Eu quero te escrever uma carta de 15 metros no Natal, com os prós e os prós de me amar e de ser amado por mim.

  Eu não quero seguir em frente. Eu não quero, eu não posso, eu não vou seguir em frente. Eu não quero esquecer que você me fez sofrer: eu quero que você venha aqui e me faça sofrer de novo e de novo e de novo.

  Eu não quero seguir em frente. Eu quero que você me queira, nem que seja só um pouquinho, dois encontros de 15 minutos durante a semana, uma mensagenzinha no Facebook na quinta, um telefonema no sábado. Eu quero que você pense em mim, que você, no meio da leitura de um livro, no meio da reunião, no meio da faxina, lembre que eu exista e que fique feliz por isso, nem que seja só um pouquinho de nada feliz por isso.

  Eu não quero seguir em frente. Eu quero caminhar de Itapuã até a Barra, passando pela casa da minha tia em Boca do Rio e pela minha faculdade em Ondina, e quero fazê-lo descalço, para que você veja meus pés sangrentos, e quero chegar na frente do seu prédio, às margens da Avenida Oceânica, desfeito em suor e cansaço, só para mostrar do que eu sou capaz, só para mostrar do que eu sou capaz por você.

  Eu não quero seguir em frente. Eu não quero, eu me recuso a seguir em frente. Eu quero fazer um ebó, três despachos e uma oração à São Francisco para ver se você larga tudo e vem viver a vida comigo.

  Eu não quero seguir em frente. Eu só quero seguir em frente se for com você. Mas eu sei que você quer, você pode e você já está seguindo em frente, enquanto eu fico aqui, empacado feito uma mula no lamaçal.


  Eu não quero seguir em frente. Eu sou uma mula no lamaçal.

3 comentários:

  1. Iiii, parece que essa pessoa não tem muita escolha... Que legal ver essas referências à Salvador. Divertidíssimo, Jão!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar; você fez uma criança feliz :D